Melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso (Provérbios 16.32)


 

casal-brigando-iraIra – A raiz hebraica é “anep”. Por trás desta está a palavra “ap”, uma palavra que descreve as “narinas” na respiração. Esta parte do corpo é importante em todo o pensamento hebraico. Lembre-se que Deus soprou vida em Adão através das narinas. Uma vez que o nariz é parte do contexto de respiração, que é essencial à vida, “ap” também é usado para expressar a idéia de ira. As narinas refletem sinais de distúrbio emocional. Estes sinais são metaforicamente atribuídas a “ira de Deus”. O pecado provoca o incendiar da ira de Deus, uma vez que o pecado é uma violação e uma afronta ao Seu Amor e à Sua Santidade.

No entanto, este provérbio traça uma imagem maravilhosa da decisão divina em reter a sua ira. Esta frase hebraica dá-nos uma imagem de Deus respirando longa e profundamente através das “narinas” antes de permitir o florescer de Sua ira, deixando-a passar. Deus conta até dez. Ele considera a nossa culpa e decide esperar antes de lançar seu castigo. E assim como Deus retarda Seu julgamento, somos chamados a fazer a mesma coisa. Assim como nos foi dado um indulto, devemos conter nossa ira para com os outros.

Este versículo em provérbios direciona a atenção para a qualidade pessoal dos personagens modelos de Deus. Aqueles de nós que conhecem a graça de Deus, que já experimentaram o que quer dizer “Deus suspendeu a sua ira”, devem mostrar esse mesmo comportamento nas ações para com os outros. Temos todas as razões para fazê-lo, pelo simples fato de que já fomos perdoados.

A maioria dos pais que acham que o estresse da criação dos filhos, muitas vezes traz os pais para perto da ira. Mas Deus está lembrando-nos que a nossa ira não leva a nada. Ele sabia dos nossos pecados e ainda assim Ele retardou a sua ira, a fim de dar-nos tempo do arrependimento e voltarmos para Ele. Devemos ser eternamente gratos por Sua graça. Por que nós temos tanta dificuldade em estender esta mesma graça para com aqueles que estão tão perto de nós? É tão fácil para nós esquecermos o preço da nossa redenção. Nos concentramos em “não é justo”, em vez de lembrar-nos o quanto custou para o Senhor nós sermos colocados em “liberdade”. Deus nos ensina pelo exemplo. Ele esperou pacientemente por nós. Precisamos aprender a esperar muito antes de acender as chamas da nossa ira.