Texto: Números 33.16-17

“partiram do deserto de Sinai, e acamparam-se em Quibrote-Taavá. E partiram de Quibrote-Taavá, e acamparam-se em Hazerote.” Números 33.16-17

Não é incomum pessoas bem sucedidas, que alcançam em sua vida grande sucesso, estarem entre as multidões sorrindo, sendo aclamadas e distribuindo autógrafos. É como se a pessoas tivesse alcançado todos os seus objetivos. Porém muitas destas pessoas voltam para a sua casa, entram seu quarto, e sentam-se na cama exaustas. Deveria ser um tempo de celebrar e deleitar com o seu sucesso. Mas em vez disso, a pessoa chora. Alcançou seus objetivos, por que ela não está feliz?

O texto lido nos fornece uma resposta.

Todos nós temos um sonho. Para algumas pessoas, pode ser encontrar o parceiro ideal e viver feliz em uma bela casa com uma cerca branca. Para outra pessoa que poderia ser alcançar um certo nível de sucesso em uma carreira e conseguir um luxuoso escritório um grande edifício. Mas, seja qual for o seu sonho, todos os nossos sonhos têm algo em comum – com a realização de um sonho, outro aparece e estamos em movimento novamente. Isto porque, como diz o ditado, “A vida é uma jornada, não um destino.” Nós nunca, na realidade, chegaremos a lugar nenhum. Estaremos sempre viajando, sempre no caminho da vida, até que a vida aqui se finde, e cheguemos à Terra Prometida.

Nesta leitura, somos informados sobre as 42 paradas dos filhos de Israel no deserto em seu caminho a Terra Prometida. Os Sábios apontam que o número 42 alude à um misterioso nome de 42 letras de Deus. Eles ensinam que cada uma das 42 paradas na viagem foi uma oportunidade para crescerem em santidade e se aproximarem de Deus. Por exemplo, em Quibrote-Taavá, literalmente “sepulcro da concupiscência” o povo aprendeu a enfrentar os seus desejos. Em Hazerote, literalmente “pátio”, eles entenderam o conceito de que este mundo é um pátio para o vindouro. Assim que eles aprendem a lição em um lugar, seguem para uma outra parada com um outro desafio e lição a serem aprendidas. A vida aconteceu na jornada, não no destino.

Quando nos sentimos frustrados ao estarmos tão longe de alcançarmos nossos sonhos, lembre-se de que a vida é construída na jornada em direção à estes mesmos sonhos. Deus nos criou como seres vivos que estamos crescendo e desenvolvendo, como uma flor em transformação. Estamos em uma jornada sem fim em direção aos nossos melhores “eus”, e isso é o que realmente importa nesta vida.