Teológico

Adoração – Introdução

INTRODUÇÃO

Adorador

Adorador

Em virtude do tema ser palpitante e para muitos cristãos ser um ato comum e diário, temos o intuito de expor o que realmente vem a ser adoração. Quais os conceitos bíblicos sobre o assunto. A adoração no Antigo Testamento e no Novo Testamento. Entre outras frentes relacionadas ao tema.

Em muitas igrejas, atualmente, as pessoas tendem ou já até habituaram em dizer que estão indo à congregação para adorar, porque são adoradores. Mas o que verdadeiramente vemos, é que a adoração nem sempre é fatídica. Haja vista que Jesus mesmo disse que o Pai procura “verdadeiros adoradores” (Jo 4.23), subentende-se que existem falsas adorações. E este assunto é discutido muito antes de Jesus pronunciar estas palavras.

Já no AT os profetas acusavam aos praticantes da adoração formal, como sendo falsa, pois a mesma enfatizava muito a prática exterior, em vez da atitude interior. Esse tema é enunciado claramente por Samuel, na sua famosa afirmação de que o “obedecer é melhor do que sacrificar” (1Sm 15.22) e um texto do AT que expressa muito bem esta ideia, está em Isaías 58.

Todavia, os profetas não eram oponentes ao sistema do Templo, pois dois dos grandes profetas do AT eram também sacerdotes (Jeremias e Ezequiel). O que os profetas acusavam era a corrupção na prática dos sacrifícios entregues como adoração, pois os sacrifícios eram, na maioria das vezes, oferecidos por aqueles que simplesmente se ocupavam com a prática, mas não eram verdadeiramente comprometidos com a fé em Deus e com a obediência ao seu mandamento.

Os profetas buscavam a purificação da adoração, não por meio da redução ou reconstrução das práticas dos Templos, mas através da centralização dos princípios básicos da adoração nas práticas sacrificiais e formais

Simplificando isso, ofertas e festas não têm nenhum valor sem um coração penitente, fiel e obediente, e onde se encontra um coração assim, é certo e apropriado, por ordem divina, que também haja festa e sacrifício (Sl 51.16-19).

Portanto, os profetas não são defensores da rivalidade entre o ministério profético versus ministério sacerdotal, mas sim da adoração genuína contra uma imitação indigna e inútil.

Conceito

Mas o que é adoração? O que significa adoração?

É uma pergunta muito objetiva, cuja resposta torna-se muito vaga se não aprofundarmos no tema.

A palavra portuguesa “adoração, adorar” é derivada do latim adoratione, adorare que significa ato de adorar, reverenciar com muito respeito. Estas palavras são compostas de <ad> “à” e <oris> “boca”, literalmente, portanto adorar é “aplicar a mão à boca“, ou seja, “beijar a mão“. Mas o termo deve ser contextualizado, e assim teremos alguns conceitos válidos.

Orlando Boyer define adoração de uma maneira muito sucinta dizendo que a mesma é um “culto ou veneração que se presta à Deus“. Claudionor de Andrade amplia o conceito afirmando que  adoração é uma “veneração elevada que se presta a Deus, reconhecendo-lhe a soberania sobre o Universo, o governo moral e a força de seus decretos“.

J.D. Douglas, resume dizendo que o conceito essencial por trás da adoração é o “serviço”. Norman Champlin define adoração como sendo uma “homenagem prestada á Deus“. E Merril Tenney diz que adoração é “o termo usado para devoção reverente, serviço, ou honra prestada à Deus, quer pública ou individual“.

Martinho Lutero expõe um conceito interessante sobre a adoração dizendo que “conhecer à Deus, é adorá-lo“, nessa afirmativa, ele resumia dois aspectos da adoração: a revelação, mediante a qual Deus se mostra ao homem, e a resposta, pela qual o homem, afetado pelo assombro, responde a Deus.

Eu defino adoração dizendo que “imitar à Deus, é adorá-lo“.

Concluindo, adoração inicia-se em conhecer à Deus, e conhecendo à Ele, prestarmos reverência e honra, e não ficando somente nisso, como forma de gratidão, prestar-lhe serviços, sabendo de sua soberania, desejando sempre imitá-lo, pois estamos nesta terra buscando alcançar a estatura de varão perfeito:

Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo. (Ef 4.13)

2 Comments

  1. Luiz Carlos Freire

    Que o brilho da luz de Jesus Cristo brilhe sempre em vossas vidas; com relação a adoração a mordomia cristã para mim é uma maneira de adorarmos a Deus da maneira que Ele deve ser adorado. Praticando a mordomia cristã estaremos sempre adorando a Deus, agradecendo aquilo que Ele é em nossas vidas.

  2. Pb. Daniel

    Obrigado Luiz pelo comentário. Isso é um incentivo ao trabalho que temos proposto a fazer. Deus lhe abençoe!

deixe um comentário