Na epístola de Judas, ele escreve assim:

Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré.

Definição de Apostasia

A apostasia é o abandono da fé. Thomas Adams diz que ela nunca chega como uma explosão, mas sorrateiramente. É como disse Ernest Plant: “A apostasia é causada por uma vida cristã relaxada”, aos poucos ela vai tomando conta de nós e nem percebemos. O apóstolo Paulo alertou Timóteo que viria um tempo em que muitos não suportariam a sã doutrina, mas que para agradarem a si mesmos, juntariam para si mestres que falariam o que lhe saciassem o ego. Paulo estava falando da apostasia e dos apóstatas. Em resumo, Francis Schaeffer arremata o assunto dizendo: “Precisamos dar à apostasia seu verdadeiro nome: adultério espiritual”.

É sobre estes “adúlteros espirituais” que Judas está falando.

Apostasia - Apóstatas

Apostasia – Apóstatas

Introdução

Ao se assentar, tomar em suas mãos a caneta, abrir sobre a sua mesa o papiro, Judas tinha em mente falar de coisas alegres, falar da salvação a que todos comungavam. É muito bom quando temos coisas boas para compartilhar com as pessoas que amamos, com as pessoas que estão próximas de nós. Sempre queremos trazer boas notícias. Ninguém deseja ser aquele que dará a notícia do falecimento, mas queremos sempre dar as boas novas. Porém nem sempre os nossos desejos, estão de acordo com as necessidades de Deus para com o seu povo. O desejo de Judas era falar de salvação, mas o de Deus era sobre batalha, uma batalha pela fé. Foi literalmente pressionado por Deus a escrever sobre isso. Vejo aqui algo que me parece faltar hoje na vida de muitos: sensibilidade espiritual.

Judas começa a epístola saudando aos receptores da carta, mas logo no versículo 4 menciona sobre o que e quem iria falar: “sobre os que foram introduzidos no meio dos crentes“. É muito doloroso saber que homens e mulheres que estão entre nós, na verdade são enviados de satanás para combater-nos na esfera da fé. Sobre estes, Judas diz que: corrompem da graça de Deus e negam a Cristo. Convertem a graça em dissolução e rebaixam a Jesus em um mero mortal. Judas diz que são (vv.5-7):

– Murmuradores e incrédulos, como os crentes salvos do Egito;

– Orgulho e cobiça, como os anjos que trocaram a glória do céu, pela maldição do inferno;

– Imoralidade, que trocaram uma vida de santidade, por uma vida de prazer carnal; desafiaram a lei moral de Deus.

Mas assim como Deus não poupou os murmuradores, os desobedientes e os devassos, não poupará os apóstatas que causam divisão nas igrejas.

Proposição

Mas porque tamanha preocupação com estes indivíduos?

  • Porque são apóstatas, e não hereges: hereges são pessoas que discordam ou adotam alguma doutrina contrária a Palavra, mas continuam seguindo a Cristo, reverenciando ao Senhor. O apóstata não, este abandona o barco, nega a fé, volta ao vômito. O herege tem volta, o apóstata dificilmente aceita retornar e, pior que isso, sempre quer levar alguém a destruição;
  • Porque são mestres. Aí reside o grande problema, os mestres não são apenas homens que falam de algo vago, ou de algo abstrato e filosófico. Não, os mestres possuem poder de influência. Eu digo que o perigo maior é que estes apóstatas ímpios estão em posições de destaque. Eu penso que um evangelista a gente ouve, o mestre a gente segue. Eis o porque Deus ter tanta pressa em alertar os seus filhos.

Judas pra demonstrar a gravidade do assunto, compara estes devassos à três personagens do AT, a saber:

  • Caim

Adão, ao conhecer Eva, a Bíblia menciona os seus dois primeiros filhos: Caim e Abel. Adão recebeu de Deus, todas as instruções acerca da adoração e ofertas. Aquele que seria o objeto de adoração, havia ensinado como gostaria de ser adorado. Adão, provavelmente compartilhou disso com seus filhos. Caim e Abel aprenderam do pai o ofício da adoração. O caminho de Caim, é diferente do caminho de Abel. Já é percebido isso em suas funções: Abel era pastor de ovelhas, Caim trabalhador da terra. Caim era da terra, termo que denota escravidão e submissão. Pode ser interpretado como adorador da terra, o que representaria muito bem a Caim. Seu trabalho o subjugava de tal maneira, que não tinha tempo pra outras coisas, inclusive adoração. Isso fez com que sua oferta não fosse sincera, pura e de coração. O caminho de Caim é o caminho da religião sem fé. O caminho do orgulho. Caim foi o primeiro homicida, e Judas está dizendo que este cínico e incrédulo, é um mestre infiltrado para matar as almas do Senhor. Representa os apóstatas orgulhosos.

  • Balaão

Um profeta de Deus, corrompido pela avareza e poder. Um homem que possuia o dom de Deus, mas desafiou ao Senhor por causa do dinheiro e poder. Balaque, atormentado com o avanço dos Israelitas, contrata Balaão, o profeta, pra amaldiçoar o povo de Israel. Como Balaão, um homem que estava na condição de profeta, mas não tinha deixado suas práticas pagãs para trás, aceitou o desafio, porque o ouro e a prata brilharam mais no seu coração do que nos seus olhos. É assim, todo aquele que não abandona o velho homem, está sempre caindo nas armadilhas da sua vida pregressa. Deus havia dito à Balaão, não vá com estes homens, mas a insistência de Balaque e a ambição de Balaão fez com que seu coração pendesse para o mal. Ele foi com os inimigos do povo de Deus, para amaldiçoar Israel. No caminho, a jumenta em que ele estava montado, viu ao Anjo do Senhor, e parou. Isso aconteceu por três vezes, e por três vezes, Balaão espancou a jumenta. Olha como o inimigo trabalha na vida de quem é avarento e cobiçoso. A jumenta falou com ele, o Anjo estava diante dele, mas nem assim, não desistiu de caminhar no mal caminho. Se a jumenta falasse com você, o que você faria? Se um anjo estivesse à sua frente, o que você faria? Aquela que carregou o peso de Balaão, aquela que sofreu nas mãos de Balaão, que aguentou as lamúrias de Balaão, foi a responsável pela sobrevivência dele. Isso é real em nossos dias, porque carregamos as pessoas, sofremos pelas pessoas, choramos com as pessoas, mas elas são as primeiras a nos machucar, nos ferir, nos trair.

Balaão, foi pra amaldiçoar, mas quando Deus está no negócio, podem falar o que quiserem de você, Deus converte maldição em bênção.

O engano de Balaão, é porque este é aquele que está no meio do povo de Deus, mas estimula o povo a pecar, enganando-o que Deus não está preocupado.

Este representa os apóstatas enganadores.

  • Coré

Este é um rebelde sem causa. Da descendência de Levi, cuidava das coisas do Templo e servia como Levita. O que tinha que reclamar? Mas, os insubmissos são assim, tudo pode estar bem, sempre arrumam algo pra falar. Os descontentes sempre fermentam, Coré conseguiu arrebanhar mais 250 pessoas contra Moisés e Arão. Coré se levantou contra a autoridade de Moisés, mas se esqueceu que a autoridade de Moisés foi dada por Deus, portanto, levantou-se contra o próprio Deus. Moisés fica irado com a rebelião e desafia Coré e os seus a se encontrarem com ele na Tenda da Congregação. Um desafio interessante. Coré iniciou a rebelião partindo da premissa que ele e todos os outros eram santos, e porque somente Moisés tinha que ser o líder?

Este representa os apóstatas rebeldes.