Em Filipenses 4.11-13 está escrito assim:

Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.

O Senhor nos deu muitas coisas para desfrutarmos, porém muitas vezes em nossas vidas passamos por turbulências, ao invés de contentamento. Quero vos alertar sobre quatro práticas que nos conduzem à insatisfação:

  1. Ocupações: Vivemos em uma sociedade da pressa, do imediatismo, correndo de uma atividade para outra. Jesus nunca se apressou em qualquer um dos lugares onde esteve, e mesmo assim Ele realizou tudo o que Deus lhe deu para fazer. Em nenhum momento Ele disse a seus discípulos para fazerem as coisas com pressa. Ele ainda elogiou Maria por escolher “parar seu trabalho” e passar o tempo oportuno com Ele (Lucas 10.39, 42);
  2. Perspectiva terrena: Demasiadas vezes vivemos focados em nossas circunstâncias. Nossas mentes pensam sobre o que aconteceu no início da semana, o que está na agenda de hoje, e as atividades que deverão ocorrer na próxima semana, mês ou ano. Sem prazer, a maravilha da vida continua ilusória. A solução é passar a ter uma perspectiva eterna, que reconhece que o Senhor está no controle e entender que a nossa meta é agradá-lo;
  3. A pressão auto-imposta: Todos nós temos experimentado os fardos inevitáveis da escola, trabalho e relacionamentos. Mas trazemos pressão desnecessária sobre nós mesmos quando deixamos que “obrigações” desnecessárias e “deveres” nos governem. A solução é recorrer ao Senhor, reconhecer Seu direito de requisitar nosso tempo, e pedir o Seu plano divino para nós;
  4. Atitudes pouco saudáveis: O perfeccionismo, falsa culpa, apatia e tudo mais relacionado a isso, enfraquecem a nossa alegria de viver.

A satisfação é encontrada em uma vida que reflete as prioridades do Senhor e o tempo com Ele e a Sua Palavra vem em primeiro lugar. A leitura da Sua Palavra, nos torna conscientes do grande amor do Pai, nos mostra o que Ele vê como importante, e nos faz experimentarmos a alegria de pertencer a Ele. Quando o contentamento não é real em nossas vidas, é hora de examinarmos nossas prioridades.