Momento de Gratidão

“E nos trouxe a este lugar, e nos deu esta terra, terra que mana leite e mel. E eis que agora eu trouxe as primícias dos frutos da terra que tu, ó Senhor, me deste. Então as porás perante o Senhor teu Deus, e te inclinarás perante o Senhor teu Deus.” Deuteronômio 26.9-10

Como parte da cerimônia de trazer as primícias a Deus, mencionada na leitura acima, os israelitas contam como eles clamaram a Deus quando estavam escravizados no Egito e Ele os salvou.

A declaração termina afirmando que Deus os livrou da escravidão e os conduziu à uma terra boa, terra que mana leite e mel, e que os frutos oferecidos eram produtos desta terra. Estes versículos são testemunho de verdadeiro agradecimento – gratidão pela salvação e bondade de Deus, e por muitas bênçãos na vida de todos.

O conceito de gratidão é importante no Judaísmo. É tão elementar que a própria palavra “Judá”, de onde o termo “judeu” é derivado, é uma forma de uma palavra hebraica que significa “obrigado.” Devemos ser gratos a todo o momento e por todas as coisas. Na verdade, um judeu tem o dever de dizer nada menos que 100 palavras de gratidão pelas bênçãos, a cada dia!

Tudo isso é básico para culto judaico a Deus. No entanto, os acontecimentos recentes em Israel aumentaram o conceito de gratidão a um nível totalmente novo e mais elevado. Em 12 de junho 2014, três meninos israelenses, em seu caminho de volta para casa, após sairem da escola, foram sequestrados e posteriormente assassinados por terroristas do Hamas. Durante 18 dias, enquanto era incerto se os meninos estavam vivos ou mortos, pessoas de todo o mundo reuniram-se em amor e solidariedade. No funeral de seu filho, Rachel Frankel expressou sua gratidão ao mesmo tempo que elogiava seu filho de 16 anos. Ela agradeceu a polícia, o exército e o governo por encontrar os corpos dos meninos, algo que ela não tinha como certo.

Então ela disse estas palavras: “Desde o primeiro dia desta provação, dissemos a nós mesmos que, mesmo que isso tudo termine mal, ainda estamos recebendo as benevolentes bênçãos de Deus; ainda estamos muito felizes.” Rachel passou a falar de sua maravilhosa família, amigos, e nação. No meio de uma dor mais profunda que qualquer um possa imaginar, a gratidão ainda estava em seus lábios.

Irmãos, se Rachel Frankel consegue reconhecer suas bênçãos em meio a tamanha tragédia, quanto mais nós devemos reconhecer nossas muitas bênçãos. A prática de trazer os primeiros frutos nos ensina que nunca devemos assumir as bênçãos que recebemos como obrigatória por parte de Deus. Devemos agradecer por elas e reconhecê-las como presentes do Senhor.

Hoje, ofereça seus sinceros agradecimentos a Deus. Pense em especial sobre as coisas que damos como certas a maior parte do tempo: as pessoas à nossa volta, o tempo que temos com nossos entes queridos, e que nós vivemos em um país onde somos livres para adorar. Como o rei Davi escreveu milhares de anos atrás, “Louvai ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.” (Salmo 136. 1). Amém!