Mateus

O IDE de Jesus

Dúvida Escola DominicalPrezados leitores, quero compartilhar através deste post sobre uma experiência que tive em uma das aulas de Escola Dominical ministrada por mim, na Igreja onde congrego e sirvo ao Senhor.

A lição falava sobre as viagens missionárias do apóstolo Paulo. Para reforçar o compromisso que o Senhor havia outorgado aos discípulos, fiz questão de ler um versículo da Palavra de Deus antes de iniciar a aula. Pedi então a todos que abrissem as vossas Bíblias no Evangelho de Jesus segundo escreveu (Mateus: 28: 19).

O versículo dizia: “Ide, fazei discípulos de todas as nações.” Fiz alguns comentários breves acerca do versículo mencionado e me aprofundei na exposição sobre a declaração do Senhor neste versículo, o que gerou um desconforto em alguns irmãos, por um ponto em específico.

Bem, talvez você esteja se perguntando: “porque o desconforto, se é um versículo tão conhecido e que nos traz claramente o que Jesus queria dizer?”. Aí é que está o problema, quando apresentei o que realmente Jesus estava dizendo neste versículo, chocou alguns irmãos que declaradamente discordaram do comentário.

Entendo, pois durante muito tempo aprende-se que aqui Jesus deixou duas ordens (IDE e FAÇA DISCÍPULOS), e no meu comentário afirmei que o IDE não era uma ordenança do Senhor.

Você deve estar se perguntando: “Como assim? Jesus não deu a ordem: IDE ?”. Vamos explicar.

As línguas bíblicas originais são de uma riqueza inestimável com uma robustez de significados muito grande, e sempre que vamos estudar e meditar na Palavra de Deus, seria muito bom não desconsiderar a língua original, caso isso seja possível.

Nossa língua, muitas vezes não possui palavras que possam expor de maneira 100% satisfatória o que a palavra no original queria significar, e por isso ficamos, muitas vezes, limitados em nossas interpretações. Isso não significa que não posso interpretar corretamente a Bíblia sem conhecer as línguas originais, mas ficamos limitados na profundidade do entendimento do texto.

Vamos ao caso da aula. Este é um caso claro desta minha afirmação. Quando Jesus pronunciou estas palavras, Ele não estava ordenando que os discípulos fossem ao mundo, pois o termo IDE, do verbo grego aqui não tem conotação imperativa, mas sim afirmativa. Jesus, ao utilizar o termo IDE, estava dizendo claramente assim: “quando vocês forem”. O que isso quer dizer? Significa que Jesus, considerava que eles iriam, mesmo sem Ele ordenar, pois era fato que os discípulos deveriam compartilhar do evangelho com toda a criatura.

É como se lêssemos João 15.16, onde Jesus não ordenou aos escolhidos que fossem, mas que os nomeou para que indo gerem frutos. É o mesmo entendimento que Jesus teve com Pedro dizendo: “quando te converteres, confirma teus irmãos”. Jesus, não deu ordens à Pedro a que se convertesse, mas que sabia que Pedro um dia se converteria de verdade, e quando isso acontecesse, aí sim, teria uma ordem a ser cumprida: “confirma teus irmãos”.

E esta declaração sobre o IDE, criou um delicado clima na sala de aula, percebendo isso, contornei a situação, mas não abri mão do verdadeiro significado a Palavra.

Quando exponho que o IDE não significa uma ordem, não quero dizer que deixou de ser uma obrigação, continua sendo, pois é o mínimo que podemos fazer por gratidão por tudo o que o Senhor fez por nós e por tudo o que nos deu. Sou tão certo disso, que Jesus conhecia o coração dos discípulos e sabia que eles iriam, e sabia que nós iríamos também.

Portanto, “quando você for”, não deixe de pregar e ensinar.

A ordem, portanto, é: FAÇA DISCÍPULOS.

Deus vos abançoe em Nome de Jesus.

4 Comments

  1. quentin silva

    Boa tarde,
    Gostei muito deste texto, na minha opinião é preciso muita coragem para falar sobre esse assunto hoje em dia, sendo que esse versículo se tornou 1 passagem obrigatória e praticamente intocável. Obrigado por essa ousadia, e se me permite gostava de saber mais em relação a esse assunto.
    Há já muito tempo que ando a pensar sobre isso, e cada vez menos concordo com a forma ensinada na maior parte das igrejas.
    Obrigado pela atenção.
    Quentin

    • Pb. Daniel Cochoni

      Agradeço pelo comentário sobre o texto e por sua satisfação com o mesmo.
      Minha intenção não é rivalizar veias teológicas que defentem o IDE como ordem e outros não entendem assim, mas expor sistematicamente e exegeticamente o que o termo verdadeiramente significa.

      Se precisar de alguma outra informação e eu puder ajudar, estou à disposição.

  2. fernando henrique venancio

    Tudo de bom palavra abençoada e forte para nosso coração. Continue assim firme temos muito pra aprender com Sr

  3. JAIR BUHCOOL DE SOUZA COSTA

    Um sábio comentário de quem tem conhecimento da língua original. Mais sábio ainda é tranquilizar os ouvintes que um dia não tiveram a oportunidade de conhecer as línguas originais, e podem ficar preocupados quanto ao que creem. Como o irmão fez, ensinar sem desanimar ou comprometer a fé dos ouvintes. Parabéns!

deixe um comentário