Quando Faraó vos falar: ‘fazei vós um milagre’, dirás a Arão: Toma a tua vara e lança-a diante de Faraó, e se tornará uma serpente. (Êxodo 7.9)

Arão e o seu cajado

Arão e o seu cajado

Para obter o primeiro de muitos milagres de Deus, Moisés foi ordenado a ir a Faraó e transformar uma vara em serpente. Moisés fez o que lhe foi ordenado; Arão jogou o seu cajado, e ele se tornou uma serpente em frente a Faraó. Mas todos nós sabemos o que aconteceu depois. Os magos de Faraó realizaram exatamente a mesma coisa! Não poderia Deus enviar Moisés com alguma coisa mais impressionante?

Os sábios judeus ensinam que o milagre não foi feito para impressionar; mas que se destinava a enviar uma mensagem.

Considere o seguinte. No Egito, a serpente, era símbolo de realeza e divindade. Os faraós eram considerados os dois: reis e deuses. É por isso que, quando você olha as fotos que retratam antigos faraós egípcios, notará que todos os seus diademas eram constituídas de símbolos serpentes. Com freqüência, uma pequena serpente estava no topo da coroa em representação do deus-serpente Uraeus. As laterais da coroa eram réplicas de cobra em forma de faixa. Deus não escolheu uma serpente como seu primeiro milagre em frente a Faraó como um capricho. Foi uma escolha deliberada e uma mensagem forte.

Quando a cobra de Arão tragou as serpentes de Faraó, é que as coisas começam a ficar interessantes. Era como se Deus estivesse dizendo: “Faraó, você pensa que és deus, mas eu sou o único Deus. Eu posso tragar você, e uma vez que você for tragado, não será possível nem encontrar vestígios de sua existência.” Deus, por outro lado, é eterno.

Na nossa época, nós podemos igualmente “repetir” muitos dos milagres de Deus. Deus pode fornecer alimentos, e nós podemos ir ao supermercado e fornecer alimentos. Deus pode curar, e nós podemos ir ao médico e sermos curados. Deus pode produzir luz, e nós também podemos trazer luz para um quarto escuro com o toque de um botão. Nós, também, podemos fazer tudo isso!

Mas não se deixe enganar. Nós não somos Deus. Só Deus é Deus. Ele foi, é e sempre será. Ele é a fonte de tudo o que podemos fazer e tudo o que podemos ser.

No final da cena, a serpente de Arão se transforma em um cajado. Existe uma mensagem aqui, também. Nós não somos Deus; somos simplesmente uma vara – um instrumento em Suas mãos. Para aqueles que desejam honra, poder e riqueza, esta mensagem vai picar como uma mordida de cobra venenosa. Mas, para os que querem paz e santidade, é um som tranquilizante que acalma a serpente em nós e liberta a alma.