Ao iniciarmos uma caminhada pelas quatro funções fundamentais do pastoreio: ensinar, guiar, prover e proteger, vale ressaltar que elas representam as necessidades humanas fundamentais como um todo, especialmente para os de dentro de casa, ou seja, da família. É preciso ser um líder em casa.

Por exemplo, o conceito de conhecer e ser conhecido fala da necessidade fundamental de um relacionamento. Pesquisas têm demonstrado a necessidade de uma criança manter contato com seus pais desde o início, a fim de ser adaptado corretamente, ou até mesmo para sobrevivência.

Para a maioria de nós, algo tão simples quanto um convite para um evento ou encontro, levanta a pergunta: quem vai estar lá? Por que perguntar isso? Porque estamos preocupados, pois queremos ir a algum lugar onde manteremos relacionamentos, onde conhecemos e somos conhecidos. Por outro lado, algumas das piores experiências que as pessoas passam, são descritos em termos de solidão, isolamento ou alienação. Estes termos são apenas uma amostra do grande glossário de palavras que expressam falta de relacionamento ou relacionamentos tensos.

Pense comigo. Sendo criado à imagem de Deus, o homem foi criado primeiro para ter um relacionamento íntimo com o seu Criador. Infelizmente, essa comunhão foi quebrada quando o homem pecou. As coisas mudaram a partir deste momento. A boa notícia é que, desde o início, o Senhor tomou a iniciativa de restaurar esse relacionamento. O elemento relacional na obra redentora de Deus é claramente visto na metáfora do pastoreio. “O Senhor é o meu pastor” (Salmos 23) destaca este privilégio de aliança, relacionamento e conhecimento mútuos.

Sabei que o Senhor é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto. Salmos 100.3

Como o pastor perfeito que veio ao mundo (o maior líder que já existiu), Jesus descreve o conhecimento mútuo entre um pastor e suas ovelhas, que caracteriza sua relação com o seu povo. “Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido.” (João 10.14). Este pastor sabia que esta relação vital com Deus poderia ser restaurada somente através de sua morte e ressurreição.

Um dos maiores medos, quando se trata de relacionamentos, é o medo da transparência. Se você realmente me conhecer, você ainda me amará? Notavelmente, o Senhor sabe tudo sobre você e Ele continua te amando. “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Romanos 5.8). Jesus ainda sabe tudo sobre os nossos pecados, dúvidas e medos, e mesmo assim Ele ainda nos ama.

Um dos maiores privilégios que temos agora, é crescer em nosso conhecimento sobre Ele. Para as ovelhas, isso é fundamental por todos os benefícios de pertencer a Ele. “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” (João 17:3). Este é um ótimo lugar para começar. Você pode ver o quanto Ele amava você com o dom inefável que Ele deu , a ponto do seu relacionamento com Ele poder ser restaurado?

A saúde e integridade de nossos relacionamentos humanos encontram a sua fonte na totalidade de nosso relacionamento com o Senhor através de Jesus.

Devo acrescentar que a força, sabedoria e amor ao próximo são abastecidos pela vitalidade da nossa vida no Senhor. O seu trabalho em nosso nome nos permite crescer em nosso relacionamento não só com o nosso Deus, mas também com os outros, especialmente nossas(os) esposas(os) e filhos.

#PenseNisso #AmeSuaFamília