Na verdade o sistema de cotas é mais uma estratégia política do que realmente preocupação com a classe “suburbanizada” (está entre aspas porque essa não é a realidade mas é o rótulo que a sociedade a colocou). Não entendo como um “suposto privilégio” à uma classe racial pode promover a inclusão social.

O problema não está na raça, mas na forma como os legislados, magistrados e politizados a enxergam e a rotulam.

Bem, se a “Nata da sociedade (mencionados acima)” a enxerga (classe em questão) como fragilizada, discriminada e “inoportunizada” (gosto de criar meu vocabulário), então, como forma de mostrarem que são “bonzinhos” e “piedosos”, criam mais uma ferramenta de manipulação política e feudal: o sistema de cotas. Isso com a intenção de promover o “bem social”. Bem social não se faz na última ponta da vida de uma pessoa, mas na primeira (desde que nasce).

Segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho, vide Wikipedia), a renda mensal de um trabalhador negro é 50% inferior a do branco, o que implica em dizer que as condições sociais dos mesmos são 50% inferiores aos do branco. Necessitam de escola pública para se prepararem e ingressarem em boa universidade, mas todos nós sabemos as condições da educação pública como está, não é?

Então, sistema de cotas é mais barato do que construir mais escolas em vários outros pontos do país, facilitando o acesso do negro à uma educação formal e é mais barato que  aumentar a qualidade do ensino público.

Se tivéssemos bons hospitais em todos os cantos do país, estados e cidades; se tivéssemos escolas de qualidade em todos os cantos do país, estados e cidades; se tivéssemos governança política honesta em todos os cantos do país, estados e cidades, será que precisaríamos de sistema de cotas? Não, claro que não, afinal de contas ninguém é menos inteligente que ninguém, o que lhes falta é oportunidade desde o início, e o sistema de cotas, como ferramenta de manipulação política, vem para tapar o rombo iniciado na primeira ponta da vida desta pessoa.

Resumindo, Sistema de Cotas é na realidade o maior incentivo à segregação racial, ou seja, é o maior incentivador do preconceito racial.