Teológico

Série Anjos – Natureza e Classificação

Nesta segunda parte do estudo sobre os anjos, veremos sobre sua natureza e classificação. Os anjos têm uma natureza incomparável; são superiores aos seres humanos (Sl 8.5), mas inferiores ao Jesus encarnado (Hb 1.6) e estão divididos em duas classes. Vamos ao estudo.

Natureza

O concílio de Laterano de 1215 d.C. decidiu que os anjos são incorpóreos, e essa tem sido a opinião da Igreja até hoje, portanto, como tais eles são incorruptíveis, invisíveis e imortais. Quanto à sua natureza, os anjos são descritos como:

  • Criaturas: Segundo Norman Champlin, somos informados que os anjos são seres espirituais criados (Hb  1.14). Foram criados do nada, pelo poder de Deus, porém a data exata de sua criação é impossível de se conhecer, a única coisa que sabemos é que foram criados antes do homem. Orígenes supunha que não há diferença entre o espírito humano e os anjos, exceto no grau de queda, no entanto, esta suposição não é totalmente aceita;
  • Espíritos: Em Hebreus 1.14, vemos a menção dos anjos como espíritos, e como tais não estão limitados às condições naturais e físicas. Aparecem e desaparecem à vontade, e movimentam-se com uma rapidez inconcebível sem usar meios naturais. Apesar de serem puramente espíritos, têm o poder de assumir a forma de corpos humanos a fim de tornar visível sua presença aos sentidos do homem (Gn. 19.1-3.). Ainda como espíritos, podemos dizer que são invisíveis (Hb 12.22, Sl 104.4), embora Deus ocasionalmente lhes conceda a visibilidade (Gn 19.1-22). Ainda podemos afirmar que possuem corpos espirituais, com demasiada freqüência o problema é confundido pela imposição aos seres espirituais daquelas limitações que pertencem à humanidade. Há muitos tipos de corpos até mesmo na Terra, o Apóstolo declara (1Co 15.39,40) e prossegue dizendo que também há corpos celestiais e corpos terrestres. Quando Cristo declarou “…um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho…” (Lc 24.37- 39), Ele não quis dizer que um espírito não tem corpo algum, mas, antes, que os espíritos têm corpos constitucionalmente diferentes dos corpos dos homens;
  • Imortais: Não estão sujeitos à morte. Em Lucas 20.34-36, Jesus explica aos saduceus que os santos ressuscitados serão como os anjos no sentido de que não podem mais morrer, ou seja, a imortalidade dos anjos está ligada ao sentido de que os anjos bons não estão sujeitos à morte;
  • Numerosos: As Escrituras nos ensinam que seu número é muito grande. “Milhares de milhares o serviam, e milhões de milhões” (Dn 7.10). “Mais de doze legiões de anjos” (Mt 26.53). “Multidão dos exércitos celestiais” (Lc 2.13). “E aos muitos milhares de anjos” (Hb 12.22). Portanto, seu Criador e Mestre é descrito como o “Senhor dos exércitos”;
  • Assexuados: Os anjos sempre são descritos como varões, porém na realidade não têm sexo; não propagam a sua espécie. (Lc 20.34-35.);
  • Poderosos: O que se aplica a todas as criaturas em relação ao poder que têm, também se aplica aos anjos: Seu poder deriva de Deus, no entanto, o seu poder, embora seja grande, é restrito. O poder angelical é superior, mas não supremo. Os anjos, portanto, são “maiores em força e poder” do que nós (2Pe 2.11);
  • Inteligentes: Pela sublime tarefa que os anjos desempenham no tempo e no espaço, desde o princípio, e por aquilo que a respeito deles a Bíblia diz, a conclusão a que se chega é que os anjos excedem em muito em conhecimento e em sabedoria os mais brilhantes homens que a História humana já teve. OS anjos prestam culto a Deus de maneira inteligente (Sl 148.2). Portanto, sem dúvida, os anjos foram criados espíritos inteligentes, cujo conhecimento teve início em sua origem, continuando a se ampliar até os nossos dias;
  • Inferiores à Cristo: Por um pouco de tempo, por causa da paixão e morte, Jesus foi feito inferior aos anjos (Hb 2.9, cf. Sl 8.5). Quanto à pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo, os anjos são inferiores a Ele em pelo menos dois pontos:
    • Os Anjos são criaturas
    • Os Anjos são adoradores (Hb 1.6)

Com estes itens da natureza angelical, podemos ter uma noção considerável de como os anjos são. Como todos os anjos comungam da mesma natureza, não podemos afirmar que todos também comungam do mesmo caráter, por isso dividimos este estudo (parte 2) em dois pontos, vejamos agora o ponto sobre a classificação dos anjos.

Classificação

Charles Hodge afirma que se ensina que todos os anjos são originalmente santos (Gn 1.31) e com base nas declarações bíblicas foram submetidos à um período de prova, alguns guardando seu estado original e outros não. Daí surge a ideia de os que os anjos classificam-se em bons e maus.

Anjos Bons: Estes anjos são chamados na Bíblia de “santos anjos”, “anjos de Deus” (Lc 9.26; Hb 1.6; Sl 103.29). Dentre esses anjos, somente dois são citados na Bíblia pelo nome: Miguel e Gabriel.

Miguel é chamado de arcanjo por Judas (v.9), príncipe por Daniel (Dn 10.13) e comandante do exército por João (Ap 12.7-8). Gabriel é rapidamente relacionado como o anjo mensageiro de Deus (Lc 1.13,31).

Josefo declara que o juramento iniciação dos essênios incluía o compromisso de preservar o nome dos anjos. O livro apócrifo de Enoque contem uma lista interessante de nome de anjos e cada nome é precedido da frase: “um dos santos anjos”. Segue alguns nomes: Uriel, Rafael, Raguel, Saraqael e Remiel.

Os anjos bons continuarão sua bem-aventurada existência com Deus e sues eleitos na era vindoura.

Anjos Maus: São “o diabo e sua anjos”. Habitaram no céu por algum tempo, mas traíram a confiança e foram expulsos para a terra pelos anjos bons (Ap 12.7-9). Esta apostasia dos anjos maus ocorreram antes da criação do homem, pois a antiga serpente induziu Adão e Eva ao pecado ainda no Éden.

Satanás, dentre o grupo de anjos maus, emergiu-se como o principal expoente do mal e da perversidade. Estes anjos, no final, serão lançados no lago de fogo eterno que foi preparado para satanás e para todos eles (Mt 25.41).

Veremos melhor sobre satanás e os anjos caídos em outra parte do estudo.

Pastor Daniel Cochoni, é pastor na Assembléia de Deus em Franca, ministério do Belém. Ministro do Evangelho credenciado pela Confradesp e CGADB, Life Coach, Analista Comportamental, proprietário da Evolution Coaching e Mentoring e profissional da área de Tecnologia.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.